PF prende prefeito eleito e mais 12 no RS por fraude

A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira o prefeito eleito de Relvado (RS), Jatir Radaelli (PMDB), e mais 12 pessoas, durante duas operações contra fraudes na Previdência Social no Estado, ambas lideradas por servidores do próprio órgão federal. As ações, batizadas de Chacrinha e Sonho Encantado, foram realizadas em Porto Alegre e no Vale do Taquari.

Agência Estado |

Na Operação Chacrinha, o principal acusado, um coronel reformado da Brigada Militar, teve 28 anos de contribuição inexistente registrados no Instituto Nacional de Previdência Social (INSS), que renderia uma aposentadoria mensal fraudulenta de R$ 3.038,99. A PF efetuou mandados de prisão temporária e preventiva e 11 mandados de busca e apreensão em Porto Alegre e Viamão, na região metropolitana da capital gaúcha. O prejuízo, conforme a PF, seria de R$ 330 mil, nos cinco meses da investigação. O total pode atingir R$ 7 milhões.

Já na Operação Sonho Encantado, que resultou na prisão do prefeito eleito de Relvado, apontou que a organização criminosa implantava concessões de benefícios totalmente irregulares junto à agência da Previdência Social de Encantado, no Vale do Taquari. Os integrantes do grupo, a exceção dos servidores públicos, aproveitaram-se do esquema para obter seus benefícios de modo fraudulento. Foram cumpridos mandados de prisão e dez mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, Muçum, Roca Sales, Relvado e Encantado.

O superintende da PF no Rio Grande do Sul, Ildo Gasparetto, calcula que nesta segunda operação o prejuízo passa dos R$ 5 milhões. Os envolvidos poderão ser indiciados por estelionato previdenciário, formação de quadrilha e falsidade ideológica.

    Leia tudo sobre: insspolícia federalprevidência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG