PF prende onze suspeitos de fraudes em licitações do PAC no Mato Grosso

CUIABÁ - A Polícia Federal do Mato Grosso prendeu, na manhã segunda-feira, onze suspeitos de fraudes em processos licitatórios do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal. O valor envolvido no esquema, conforme a PF, é de mais de R$ 219 milhões.

Redação com Agência Estado |

As prisões foram realizadas na cidade de Cuiabá, no Mato Grosso, e os presos serão encaminhados à Polinter e ao Presídio do Pascoal Ramos.

A Polícia Federal também cumpre 22 de busca e apreensão na capital mato grossense, além de cinco mandados de busca e apreensão na cidade de São Paulo (SP), três em Goiânia (GO) e um no Distrito Federal.

Segundo a PF, o valor contratado por meio deste esquema foi de R$ 219.549.607,96, sendo que pouco mais de R$ 7 milhões já foram pagos.

Investigações

As investigações tiveram início em 2007 no Mato Grosso, após denúncias do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Ministério Público da União e do Estado.

A operação foi batizada de Pacenas, em referência à Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap), uma sociedade de economia mista tendo por acionista majoritário o município de Cuiabá, e que estaria envolvida nas fraudes. O nome Sanecap lido ao contrário torna-se Pacenas.

Conforme a PF, os editais tinham cláusulas que direcionavam determinadas empresas a ganharem as licitações antes mesmo delas ocorrerem.

A polícia acredita que as empresas envolvidas no esquema tinham forte ligação com políticos do Estado do Mato Grosso e políticos municipais. Entre as irregularidas encontradas pelo Tribunal de Contas, estão a falta de parcelamento, preços acima dos praticados no mercado e atestados técnicos falsos.

Os envolvidos responderão pelos crimes de fraude à licitação, advocacia administrativa e formação de quadrilha. As penas variam de três meses a três anos de reclusão, além de multa.

Leia mais sobre: fraudes - Polícia Federal

    Leia tudo sobre: empresafraudepacpolícia federal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG