PF prende em São Paulo italiano acusado de pertencer a máfia

SÃO PAULO (Reuters) - A Polícia Federal anunciou nesta sexta-feira que prendeu um italiano acusado de associação com a máfia, corrupção e fraude. A prisão é resultado de uma operação simultânea realizada em quatro países na quinta-feira. A operação, denominada Cento Passi, foi realizada no Brasil, na Itália, na Espanha e na Venezuela. No total, foram presas 26 pessoas, uma delas no país, de acordo com nota da

Reuters |

PF.

Em São Paulo, agentes federais do escritório da Interpol prenderam Leonardo Badalamenti, de 49 anos, acusado pelas autoridades italianas de tentar negociar títulos de investimento falsos através de filiais do Banco da Venezuela em vários países.

Badalamenti estava no Brasil há cerca de 15 anos e declarou à polícia ser comerciante. O italiano vivia em São Paulo com o nome falso de Carlos Masseti e foi autuado em flagrante.

O Supremo Tribunal Federal (STF) havia expedido mandato de prisão preventiva para fins de extradição contra Badalamenti, que responderá pelo uso de documento falso à Justiça Federal em São Paulo e ao processo de extradição no STF.

Além da prisão de Badalamenti, foram detidas 19 pessoas na Itália, três na Espanha e outras três na Venezuela.

Badalamenti é filho de Gaetano Badalamenti, um dos líderes da organização mafiosa Cosa Nostra, morto em 2004 enquanto cumpria sentença de 45 anos de prisão.

(Reportagem de Hugo Bachega)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG