PF prende dois prefeitos acusados de fraude no MA

Dois prefeitos do Maranhão foram presos hoje em flagrante pela Polícia Federal acusados de fraude em licitações, uso de notas fiscais frias e empresas de fachada para obter vantagem em processos licitatórios financiados pela União por meio de convênios, fundos e programas dos ministérios da Educação, Saúde e Cidades. Os presos são os prefeitos de Marajá do Sena, Perachi Roberto Farias Morais, e de Centro Novo do Maranhão, Domício Gonçalves da Silva.

Agência Estado |

Além deles, foram detidas pela Polícia Federal outras onze pessoas. Entre elas estavam funcionários e políticos das duas cidades. Também foram apreendidos sete malotes com documentos das duas prefeituras e assessórios de informática.

A Polícia Federal desencadeou a ação aproveitando o último dia de prestação de contas ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão. As prisões ocorreram em um escritório de contabilidade de São Luís. "As investigações estavam sendo realizadas há aproximadamente um ano", explicou o delegado José Ribamar de Melo Bonfim. A ação foi uma continuação da "Operação Rapina", realizada 16 de dezembro de 2007, responsável pelo indiciamento de 118 pessoas, entre elas nove prefeitos nos Estados do Maranhão e do Piauí. Todos são acusados de montar uma organização criminosa que, conforme estimativas da Polícia Federal, chegou a desviar cerca de R$ 1 bilhão dos cofres públicos nos últimos dez anos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG