PF prende dez pessoas em operação contra pornografia infantil na internet

BRASÍLIA - A Polícia Federal prendeu em flagrante 10 pessoas pela posse de material pornográfico infantil, durante a Operação Turko, na qual foram cumpridos ao longo desta segunda-feira 92 mandados de busca e apreensão em 20 Estados e no Distrito Federal. A operação visa principalmente ao combate à pornografia infantil na rede de relacionamentos virtuais Orkut.

Redação com Agência Brasil |



Das oito prisões efetuadas, cinco ocorreram em São Paulo, duas no Rio Grande do Sul, uma em Pernambuco, uma no Espírito Santo e uma na Paraíba.

O objetivo é realizar uma análise do material contido nos computadores, identificar material pornográfico e os responsáveis por sua divulgação, afirmou o delegado da Polícia Federal Carlos Eduardo Sobral, da Unidade de Repressão a Crimes Cibernéticos.

Divulgação
Apreensões feitas pela Polícia Federal na operação de hoje

Embora não esteja entre os principais produtores de pornografia infantil, o Brasil já é o maior consumidor mundial desse tipo de material, segundo informou o delegado Sobral. As vítimas são crianças, de recém-nascidos a menores de 13 anos de idade, usadas em cenas de sexo. Os criminosos estão entre todas as classes sociais e regiões do País.

A investigação da Operação Turko, coordenada pela Divisão de Direitos Humanos e pela Unidade de Repressão a Crimes Cibernéticos da PF, é resultado de informações repassadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito da Pedofilia no Senado Federal, em parceria com a ONG Safernet e com o Ministério Público Federal de São Paulo.

Segundo a polícia, ao longo de um ano de investigação, que contou com a colaboração da empresa proprietária do site, foram filtradas cerca de 3.500 denúncias que acabaram levando até os alvos da ação desta segunda.

Nas buscas, os policiais acessaram os computadores dos suspeitos para confirmar a existência de imagens de pornografia infantil e, com o material encontrado, os responsáveis foram presos em flagrante. Segundo a PF, a pena para a distribuição de pornografia infantil na internet, para os casos investigados pela Operação Turko, é de três a seis anos de prisão, além de multa.

Esta é a primeira grande operação após a publicação da lei 11.829, que alterou o Estatuto da Criança e do Adolescente e tornou crime a posse de material pornográfico infantil.

A operação é uma das ações que marcam o Dia Nacional de Luta contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi instituída pela Lei Federal nº 9970/00 e lembra um crime bárbaro que chocou todo o País e ficou conhecido como o Crime Araceli, ocorrido em 1973, em Vitória.


Leia mais sobre: abuso sexual

    Leia tudo sobre: abuso sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG