SÃO PAULO - A Polícia Federal cumpriu, nesta terça-feira, 116 mandados de busca e apreensão na região da rua Santa Ifigênia, no centro da capital paulista. Dois caminhões com mercadorias foram apreendidos e há, ao menos, 20 pessoas detidas, segundo a assessoria da PF. O grupo, de brasileiros e estrangeiros chegou à sede da PF, no bairro da Lapa, por volta das 16h30, em um ônibus.

De acordo com a PF, as buscas foram feitas em duas galerias e em um escritório de advocacia responsável pela administração das lojas. Policiais chegaram aos locais após cerca de um ano de investigação.

Cerca de 240 policiais foram envolvidos na ação, que recebeu o nome de Operação Sebta (nome árabe da cidade de Ceuta), em alusão à cidade localizada no estreito de Gibraltar, que funciona como um entreposto de mercadorias para a Europa.  

AE
Polícia Federal apreende mercadorias em galeria da região da Rua Santa Ifigênia


A Polícia Federal apreendeu dois caminhões com produtos eletrônicos, entre eles TVs de LCD, notebooks, câmeras digitais e pen drives, mas não calculou o valor do material, que será encaminhado à Receita Federal.

De acordo com o delegado Luiz Tempestini, que coordenou a Operação Sebta, as pessoas presas responderão pelo crime de contrabando e descaminho, cuja pena prevista varia de um a quatro anos de prisão.

"A partir do crime de descaminho e contrabando pode-se chegar a outros crimes, como falsidade ideológica, falsificação de documentos, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de quadrilha", afirmou o delegado.

Ainda segundo ele, a PF também descobriu um escritório que administrava o comércio na região, alugando lojas e boxes para comerciantes de cerca de 120 estabelecimentos. "O escritório organizava os estabelecimentos e contratos, mas cada um tinha independência", explicou.

Segundo Tempestini, os produtos contrabandeados entravam no País principalmente por Uruguaiana (RS) e fronteira com o Paraguai. "A organização faz parte de um esquema de importação ilegal que ainda estamos investigando."

Tempestini ressaltou que a Operação Sebta poderá dar origem a novas investigações em outros locais onde ocorre comércio de produtos contrabandeados em São Paulo. "Essa é uma medida que a PF pretende adotar daqui para a frente. Combater efetivamente e com maior afinco essas situações", declarou.  

Leia mais sobre: contrabando

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.