PF prende 15 por manter cassino de luxo em Minas Gerais

Entre os presos estão policiais civis e um agente penitenciário

Agência Estado |

A Polícia Federal de Minas Gerais prendeu nesta quinta-feira 15 pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha vinculada a jogos de azar e lavagem de dinheiro. O grupo atuava em um cassino de luxo, localizado em hotel na cidade de Monte Sião, no sul de Minas Gerais. Entre os presos estão policiais civis e um agente penitenciário, que são suspeitos de proteger a atividade ilícita.

Durante a operação denominada "Keno", foram apreendidas 80 máquinas de jogos, R$ 35 mil em espécie, além de computadores e documentos que podem comprovar os crimes investigados. Vinte e dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos. O nome da operação refere-se a um jogo, de origem chinesa, semelhante ao bingo. O cassino movimentava cerca de R$ 500 mil por mês, segundo a PF.

O acesso ao cassino era restrito, sendo permitido apenas às pessoas conhecidas ou indicadas pelos apostadores. Os clientes também tinham senhas para poder entrar no local. A PF identificou os supostos responsáveis pelos crimes após oito meses de investigações.

As ações aconteceram na cidade de Monte Sião, em Minas Gerais, e em Águas de Lindóia, Mogi-Guaçu, Mogi-Mirim, Serra Negra, Rio Claro, Campinas e Bauru, em São Paulo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG