O prejuízo aos cofres públicos está estimado em mais de R$ 3,3 milhões

selo

Treze pessoas foram presas hoje durante a Operação Guia, organizada pela Força-Tarefa Previdenciária, formada pela Polícia Federal, pela Previdência Social e pelo Ministério Público Federal. Os detidos pertenciam a duas quadrilhas que fraudavam benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Estado de Goiás. O prejuízo aos cofres públicos está estimado em mais de R$ 3,3 milhões.

Estão presos cinco servidores previdenciários, um servidor da Receita Federal, um contador e seis pessoas conhecidas como "intermediárias de benefícios", uma atividade irregular. Também foram cumpridos 17 mandados de busca e apreensão e ordens de bloqueio de contas bancárias nos municípios de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Hidrolândia e Nova Crixás.

Segundo a Previdência Social, uma das quadrilhas aliciava servidores do INSS para facilitar a concessão irregular de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. A outra criava vínculos empregatícios inexistentes por meio da inserção de dados falsos na Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e na Guia de Informações à Previdência Social (GFIP).

Com isso, os 'clientes' podiam acrescentar tempo de serviço fictício nos bancos de dados da Previdência Social e requerer benefícios aos quais não tinham direito. Nos últimos seis meses de investigação foram identificados 150 benefícios, intermediados pelos dois grupos criminosos, com indícios de irregularidades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.