Protógenes nega ordem do Planalto para investigar Dantas" / Protógenes nega ordem do Planalto para investigar Dantas" /

PF pede prorrogação do inquérito sobre grampo envolvendo presidente do STF

RIO DE JANEIRO - A Polícia Federal (PF) vai pedir a prorrogação do inquérito sobre o grampo telefônico envolvendo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. A informação foi divulgada nesta quinta-feira pelo setor de comunicação da PF. A investigação, iniciada em 1° de setembro, é conduzida pelos delegados federais Rômulo Berredo e William Murad. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/10/02/protogenes_nega_ordem_do_planalto_para_investigar_dantas_1967850.html target=_blankProtógenes nega ordem do Planalto para investigar Dantas

Agência Brasil |

O ministro da Justiça, Tarso Genro, comentou nesta quinta as possibilidades dos grampos terem sido feitos a partir do Senado, por empresas interessadas em licitações na Casa ou na própria operadora de celular usada por Gilmar Mendes, segundo reportagem do jornal O Globo, citando fontes do Ministério Público Federal (MPF). Procurado, o MPF não confirmou ter repassado ao jornal as informações.

Isso vem precisamente na direção que nós vínhamos tratando o assunto. Eu sempre disse que hoje tem dispositivos tecnológicos para qualquer pessoa privada, fora do Estado, possa utilizar e fazer escuta. Se isso se confirmar, fica claro duas coisas. Que a PF até agora tem feito escutas telefônicas com ordem judicial e não faz escutas ilegais. E segundo: isso confirma que o projeto de lei que remetemos à Câmara é altamente necessário, pois bate nos grampeamentos ilegais feitos por pessoas públicas ou privadas e pune exemplarmente, disse o ministro.

Perguntado se havia possibilidade de o grampo contra o STF ter sido feito por um agente da PF de forma isolada, Tarso respondeu: Aí é um marginal infiltrado dentro da polícia, que até agora nós não localizamos. Assim como tem desvio de conduta de magistrado, de promotor, de médico, de advogado, pode ter de policial federal. Mas a PF, como instituição ,jamais vai fazer esse tipo de procedimento".

E completou: "Se forem confirmadas as informações de que esses grampos não são da PF, de que a Abin [Agência Brasileira de Inteligência] não tem esses aparatos, a nossa preocupação deve ser investigar duramente que delinqüentes. São esses que estão usando essas tecnologias para invadir privacidade e para escutar ministros. Crtamente para utilizar essas informações como mercadoria criminosa.

Leia mais sobre: grampos telefônicos

    Leia tudo sobre: grampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG