PF investiga desvio de verbas em estatal no Piauí

Os indícios são de crime contra ordem pública, fraude em licitações, desvio de recursos públicos, dentre outros

AE |

selo

A Polícia Federal deflagrou ontem a operação Thysanura e cumpriu 16 mandados de busca e apreensão em Teresina, Esperantina, Piracuruca e Parnaíba. Foram apreendidos computadores e documentos em escritórios de construtoras e de contabilidade, além da Empresa de Gerenciamento de Recursos Humanos do Piauí (Emgerpi), outros órgãos públicos e residências de servidores públicos estaduais.

A operação mobilizou 64 homens da PF e 5 técnicos da Controladoria-Geral da União (CGU). Os indícios são de crime contra ordem pública, fraude em licitações, desvio de recursos públicos, dentre outros.

O delegado da PF, José Olegário Pereira Nunes, que coordenou a operação, afirmou que as investigações continuam e são sigilosas, por determinação da Justiça. Por isso, não divulgou os nomes dos envolvidos. Em nota oficial, a PF informou que a maior parte dos mandados, expedidos pelo juiz da 5.ª Vara Federal, Carlos Augusto Pires Brandão, foi cumprida na Emgerpi por suspeita de desvios de recursos públicos no período de 2007 a 2009.

Perícia

A investigação começou há um ano e, segundo o delegado, a PF buscava elementos que faltavam para a instrução do inquérito e para corroborar com os autos para Justiça Federal.

"Estamos analisando e periciando os documentos e computadores apreendidos para ver a autoria de crimes contra o erário público e apontar responsabilidades. Será feita uma análise pericial completa e encaminharemos os documentos, o relatório para o Ministério Público Federal", frisou o delegado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: polícia federalPFPiauícorrupção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG