PF investiga caminho de dinheiro do Opportunity

O dinheiro saiu do Banco Opportunity, passou por dois paraísos fiscais no Caribe, pela Irlanda e pelos Estados Unidos antes de retornar lavado ao Brasil como se fosse investimento estrangeiro, segundo a Polícia Federal, na esteira das investigações da Operação Satiagraha.

Agência Estado |

  • Entenda a operação Satiagraha da Polícia Federal
  • Saiba quem são os investigados na Operação Satiagraha
  • Saiba quem são Naji Nahas, Daniel Dantas e Celso Pitta
  • Entenda a diferença entre prisão temporária e preventiva
  • José Paulo Kupfer: O conluio da PF com a Rede Globo
  • Esse foi, de acordo com as investigações da PF, o caminho percorrido pelos valores movimentados, entre 1992 e 2004, pelo Opportunity Fund, do banqueiro Daniel Dantas - e que, no total, chegariam a US$ 1,97 bilhão. A sede da operação ficava nas ilhas Cayman.

    No esquema do Opportunity, a suspeita da PF é que dinheiro de origem ilícita era remetido por clientes brasileiros por meio de doleiros para o exterior. Os clientes abriam empresas em nome de laranjas. Ao chegar ao fundo, o esquema permitiria a volta desse dinheiro ao Brasil já lavado. Aplicados como investimento estrangeiro no País, os recursos ganhavam aparência legal. Se fosse de origem lícita, o dinheiro pagaria ao sair do Brasil, em caso de empresas, 25% de imposto de renda e 12% de Contribuição Social sobre Lucro.

    As informações de que o Banco Opportunity teria montado tal esquema estavam no disco rígido apreendido em 2004 pela Polícia Federal, durante a Operação Chacal. "Há indícios de que, apesar da ação da PF, esse esquema foi mantido", afirmou o procurador da República Rodrigo de Grandis. Segundo ele, e-mails trocados entre os acusados mostrariam indícios de violação do artigo 22 da lei 7.492/86 (evasão de divisas) e do artigo 4º da mesma lei (gestão fraudulenta de instituição financeira).

      Leia tudo sobre: dantas

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG