PF faz operação contra tráfico de animais em oito Estados e Distrito Federal

Ao todo serão cumpridos 62 mandados judiciais. Polícia diz que aves vinham do Equador, Peru e Venezuela e eram compradas para rinhas

AE |

selo

A Polícia Federal (PF) desencadeou na manhã desta segunda-feira, em oito Estados e no Distrito Federal, a Operação Estalo, para desarticular quadrilhas especializadas no tráfico ilícito de aves silvestres e exóticas. Ao menos uma pessoa foi presa preventivamente em Governador Valadares, em Minas. 

Estão sendo cumpridos, segundo a PF, 62 mandados judiciais, sendo 33 de busca e apreensão, 20 de prisão preventiva, 2 de prisão temporária e 7 conduções coercitivas, nos Estados de Pernambuco, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Ceará, Amazonas, Santa Catarina, Roraima e no Distrito Federal. 

Leia também: Criador de aves é preso por maus-tratos em São Paulo

Segundo a PF, as aves vinham do Equador, Peru e Venezuela e eram contrabandeadas por criadores de canários que obtinham grandes quantias em dinheiro nas chamadas rinhas. Os animais adquiridos nesses países por cerca de R$ 12,00 eram vendidos no mercado clandestino brasileiro a partir de R$ 130,00. 

Divulgação
Gaiolas apreendidas durante a Operação Estalo

Nas rinhas, os canários eram avaliados de acordo com a habilidade apresentada, chegando a valer o preço de um carro de luxo, podendo ser negociados por preços que podem chegar a R$ 100 mil cada ave, segundo a PF. As apostas também chegavam a R$ 50 mil. 

Para introduzir as aves clandestinamente no país, a organização criminosa contava com o apoio de um policial civil, que chegava a receber cerca de R$ 3 mil por carregamento. Durante as investigações, mais de 12 mil aves contrabandeadas pelas quadrilhas foram apreendidas em rodovias e aeroportos de diversos Estados. 

Entre os envolvidos, ao menos oito possuem cadastro no sistema do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Esses grupos chegaram a ser multados pelo órgão federal nos últimos dez anos em valor superior a R$ 30 milhões por diversas irregularidades, como transporte clandestino, comércio ilícito e manutenção em cativeiro de animais, segundo a PF.

    Leia tudo sobre: operaçãopftráfico de animaisibama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG