A ligação entre traficantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) e do Comando Vermelho (CV) não é novidade para as polícias Civil e Federal do Rio, no entanto ainda não havia indícios de que a facção paulista fosse responsável pelo fornecimento de drogas para as favelas cariocas. De acordo com o delegado Victor Cesar, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF, há várias apreensões feitas nos últimos anos que mostram que eles contratam os mesmos fornecedores e dividem o frete.

"Eles compram a droga das mesmas pessoas, ela vem do Paraguai, parte fica em São Paulo e o resto vem para o Rio abastecer favelas do Comando Vermelho", afirmou. Segundo o delegado, não há investigações que mostrem ser o PCC o responsável pelo abastecimento de entorpecentes.

A aproximação entre o PCC e as facções cariocas teria começado em 2002, quando dois líderes do grupo paulista foram transferidos para o Rio: José Márcio Felício, o Geleião, e César Roriz, o Cesinha, já morto. Eles ficaram presos em Bangu 1, onde estavam líderes do CV como Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e Francisco Testa, o Tuchinha da Mangueira, e teriam se associado para explorar melhor o tráfico de drogas e armas.

Leia mais sobre: PCC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.