PF divulga detalhes da Operação Toque de Midas no AP

A Polícia Federal (PF) do Amapá divulgou hoje comunicado com o detalhamento dos 12 mandados de busca e apreensão que foram cumpridos hoje como parte da Operação Toque de Midas, que investiga supostas irregularidades na concessão da Estrada de Ferro do Amapá. De acordo com a PF, cinco mandados foram cumpridos em Macapá, nas residências de Braz Martial Josaphat, descrito pela nota como lobista; de Ruben Bemerguy, ex-Procurador Geral do Estado; de Guaracy Campos Farias, membro da comissão especial de licitação da estrada de ferro; além de operações na sede da empresa Conterra, prestadora de serviços da MMX, do grupo EBX, do empresário Eike Batista; e um mandado na Secretaria de Planejamento do Orçamento do Estado do Amapá, que realizou a concessão.

Agência Estado |

As operações de busca e apreensão também seguiram para o município de Santana, nas instalações da MMX Amapá. Dois mandados foram cumpridos na localidade de Pedra Branca do Amapari, sendo um na mina do projeto de ferro da MMX e ouro na Mineração Pedra Branca do Amapari (MPBA).

A operação da PF seguiu também para Belém, na residência de José Carlos Frederico, empregado da MMX e da MPBA. Outras três operações foram realizadas no Rio, nas residências de Eike Batista, controlador da EBX, do vice-presidente da MMX, Flávio Godinho, e na sede da MMX Amapá Mineração.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG