PF divulga cidades cearenses onde teriam ocorrido crimes ambientais

FORTALEZA - O superintendente da Polícia Federal (PF) em Fortaleza, delegado Aldair da Rocha, disse agora há pouco, em entrevista coletiva, que a Operação Marambaia, iniciada nesta quarta-feira, está aprofundando investigações em empreendimentos na Praia do Futuro, em Fortaleza; Cumbuco, em Caucaia; Pecém, em São Gonçalo do Amarante; Guaramiranga, Crateús e Aracati. O inquéritos correm em segredo de Justiça. Esses empreendimentos estão sob suspeita de terem licenças ambientais fraudulentas.

Agência Nordeste |

Nesta quarta, a Operação Marambaia, desenvolvida por 80 policiais federais prendeu o superintendente regional do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama-Ceará), Kamundo Braga; o chefe do escritório do Ibama em Aracati, Antônio César Rebouças; a secretária do Meio Ambiente de Fortaleza, Daniela Valente; e o secretário da Superintendência do Meio Ambiente do Ceará (Semace), Herbert Vasconcelos. Os advogados dos quatro já entraram no Tribunal Regional Federal (TRF) da 5ª Região, no Recife, com pedido de habeas corpus.

Os mandados de prisão foram expedidos pelo juiz federal da 11ª Vara no Ceará, Danilo Fontenele Sampaio, que determinou o imediato afastamento dos chefes do Ibama dos cargos. Os quatro são acusados de tráfico de influência, corrupção ativa e passiva, violação de sigilo funcional e prevaricação. Eles estão sendo investigados ainda por crimes ambientais, que teriam sido cometidos em benefício de grupos empresariais nacionais e estrangeiros.

Kamundo, que foi detido em São Paulo, quando participava de reunião do Ibama, será transferido ainda hoje para a sede da PF em Fortaleza. Os outros três já estão na carceragem da PF na capital cearense.

Leia mais sobre: crimes ambientais

    Leia tudo sobre: crime ambiental

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG