BRASÍLIA - A Polícia Federal (PF) desmentiu nesta quinta-feira a informação do delegado Protógenes Queiroz sobre a parceria entre a corporação e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) em operações.

Na véspera, ao depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Grampos, na Câmara, o ex-chefe da Operação Satiagraha disse ser comum a participação de arapongas em ações da PF. "A questão da participação da Abin, há uma lei que regulamenta, e o entendimento já é recepcionado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Está dentro da legalidade a participação da Abin em ações da PF. E não foi apenas na Satiagraha, foram mais de 160 operações", afirmou ontem Protógenes.

A versão do ex-chefe da Satiagraha - operação que resultou na prisão do banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity - foi rebatida pela PF. Por meio de sua assessoria de imprensa, a corporação afirmou que quando os dois órgãos atuam em conjunto não significa "participação de servidores fazendo monitoramento e interceptação telefônica". "O que existe é apenas troca de informações e, da forma como ocorreu na Satiagraha, não existiu em nenhuma outra operação", informou. "Da forma como ocorreu na Satiagraha não se repetiu."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.