PF combate comerciantes acusados de explorar índios

A Polícia Federal em Barra do Garças, no Mato Grosso, desencadeou na manhã de hoje nos municípios de Água Boa e Canarana a Operação Aldeia Livre II em estabelecimentos comerciais em que os responsáveis retinham cartões do Programa Bolsa Família e do INSS, além de documentos pessoais de indígenas da etnia xavantes de diversas aldeias da região. Com os cartões e as respectivas senhas, os empresários, pessoalmente ou por intermédio de terceiros, sacavam os benefícios previdenciários concedidos aos índios pela Seguridade Social, bem como os valores percebidos pelos mesmos do Programa Bolsa Família, mantido pelo Governo Federal.

Agência Estado |

De acordo com a PF, foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Federal da Seção Judiciária de Mato Grosso. Os comerciantes exigiam que os índios entregassem seus cartões como garantia do pagamento de supostas dívidas contraídas, inclusive para o pagamento de bebidas alcoólicas vendidas ilicitamente aos indígenas.

Segundo a PF, o crime é comum na região do Vale do Araguaia, conforme demonstrado na Operação Aldeia Livre I realizada no início de 2008, quando foram presos em flagrante seis comerciantes do município de Campinápolis, no mesmo Estado, e apreendidos centenas de cartões de indígenas, além de seus documentos pessoais e senhas daqueles cartões, que estavam em poder dos comerciantes.

A operação contou com 30 policiais federais das unidades de Cuiabá, Barra do Garças e Rondonópolis. Os comerciantes flagrados com os cartões de movimentação bancária dos indígenas serão devidamente autuados com base no Estatuto do Idoso. Os cartões bancários e documentos pessoais apreendidos serão encaminhados à Fundação Nacional do Índio (Funai), a fim de que sejam restituídos aos indígenas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG