PF apura veracidade de assinatura de filiação ao PT-MG

A Polícia Federal apura a suposta falsificação da assinatura de filiação do técnico contábil aposentado do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Carlos Humberto de Souza Cunha, de 66 anos, ao diretório municipal do PT. Conforme matéria publicada pelo jornal O Tempo em sua edição de hoje, há um ano e nove meses Cunha foi surpreendido pela informação de que estava filiado ao PT ao tentar concorrer ao cargo de vereador em Belo Horizonte pelo Partido Social Liberal (PSL).

Agência Estado |

O próprio candidato acionou a PF, que instaurou inquérito. O candidato a vereador prestou depoimento em dezembro passado e disse que foi vítima de uma fraude. De acordo com o jornal, já foram interrogados também o presidente do diretório municipal do PT, Aluísio Marques, e um funcionário do partido. A PF não forneceu informações, mas a previsão é de que o inquérito seja encerrado nos próximos dias.

Há dois anos, o PT mineiro empreendeu uma agressiva campanha de adesão, que chegou a levantar suspeitas entre grupos internos rivais. Até maio, o diretório estadual contava com 135 mil filiados aptos a votar no Processo de Eleição Direta (PED), marcado para novembro, quando será escolhido o presidente do PT-MG e os dirigentes municipais. O número significa cerca de 52 mil filiados a mais em relação ao último PED, segundo o atual presidente, deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG), que disputa a reeleição.

A eleição partidária tem como pano de fundo a condução da disputa pelo governo mineiro em 2010. Disputam a indicação como candidato do PT à sucessão do governador Aécio Neves (PSDB) o ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, e o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG