PF abre nova investigação para apurar transplantes

A Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários da Polícia Federal (PF) abriu hoje um novo inquérito para apurar denúncias decorrentes da Operação Fura Fila, que investiga desvios na fila única de transplantes de órgãos. Segundo os investigadores, familiares de pacientes que foram rejeitados na fila única para transplante de fígado, no Estado do Rio de Janeiro, estão procurando a Polícia Federal para apresentarem denúncias de que médicos teriam cobrado para realizar transplantes.

Agência Estado |

A irmã de um paciente, que morreu antes de ser transplantado, relatou que um dos médicos envolvidos com a quadrilha teria pedido R$ 150 mil para realizar a cirurgia em uma clínica particular.

A nova investigação vai apurar a suposta tentativa de venda de órgãos, crime descrito como Corrupção Passiva, que é quando o funcionário público "solicita ou recebe", para si ou para outrem, direta ou indiretamente, vantagem indevida, ou aceitar promessa de tal vantagem. Esse crime prevê pena de 12 anos de reclusão, mais o pagamento de multa. Também será investigado a conduta de "comprar ou vender tecidos, órgãos ou partes do corpo humano", cuja pena chega a oito anos de reclusão, além do pagamento de multa.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG