RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras informou nesta terça-feira que as exportações de petróleo e derivados em 2008 atingiram um volume recorde de 673 mil barris diários, o que significou um superávit na balança de comércio exterior da companhia, em volumes, de 103 mil barris/dia. Com isso, a empresa garante ao Brasil a manutenção da autossuficiência em petróleo, em volumes, conquistada em 2006. Em 2007, o superávit foi de 77 mil barris diários.

"Foi um acréscimo interessante de volumes, foi muito bom", disse o diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, por telefone.

Apesar do superávit volumétrico, segundo a estatal, houve no ano passado um saldo negativo nas transações da companhia de 926 milhões de dólares.

"O déficit é resultado da diferença de preços entre os 439 mil barris/dia petróleo pesado exportados e os 373 mil barris/dia do produto leve importado, cujo valor de mercado é maior", destacou a empresa em comunicado.

O diretor acrescentou: "O nosso petróleo é mais pesado, e este ano tivemos a produção de um petróleo mais ácido em Roncador (campo), Albacora Leste e Jubarte, que tem um valor menor do que o que importamos".

Também influenciaram a balança a diferença entre os preços dos derivados importados, principalmente diesel, nafta e GLP, de maior valor agregado, e os exportados, notadamente gasolina e óleos combustíveis, de acordo com a estatal.

"Apesar da produção (nacional) mais alta de diesel (em 2008), tivemos um aquecimento da economia, que provocou a maior importação. Por isso temos que aumentar as refinarias no Brasil, para refinar mais diesel aqui", destacou Costa.

(Reportagem de Denise Luna, no Rio de Janeiro, e Roberto Samora, em São Paulo)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.