Petrobras: orçamento de refinaria subiu para US$ 12 bi

A Petrobras confirmou hoje, em nota, que o valor orçado para a construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, foi reavaliado e passou de US$ 4 bilhões para US$ 12 bilhões, podendo aumentar em mais 20% ou diminuir em 10%, a depender das licitações que estão sendo realizadas. De acordo com comunicado feito à Comissão de Valores Mobiliários, a Petrobras informou que o aumento do investimento planejado pode ser explicado principalmente pelos seguintes fatores: em primeiro lugar o aumento da capacidade de refino e a inclusão de novos sistemas para melhoria da qualidade dos derivados, em segundo, o aumento significativo dos preços dos equipamentos e serviços em comparação com os originalmente orçados em função do aquecimento da indústria do petróleo, decorrente da elevação das cotações internacionais do preço do petróleo ao longo dos últimos anos, e, por último, a depreciação do dólar frente ao real, pois a maior parte dos investimentos contratados será em real, e ao converter esses custos a soma em dólares aumenta.

Agência Estado |

A Petrobras esclareceu que o total do investimento está em avaliação e ainda será submetido à aprovação da Diretoria Executiva com a atualização do Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica (EVTE). A companhia afirmou ainda que além da alteração do valor do investimento, ao longo do período de 2007 a 2009, no desenvolvimento da fase de projeto básico - Fase III, fez outras alterações no escopo do projeto, na medida em que foi incrementado o grau de definição dos requisitos técnicos. Entre as alterações, estão o aumento da capacidade de produção da unidade, de 200 mil barris por dia para 230 mil barris por dia e do prazo para a conclusão da obra de 2010 para 2011.

Na nota à CVM, a estatal ainda destacou que atualmente as obras da refinaria encontram-se na fase de conclusão da terraplenagem. As licitações das principais unidades que a compõe ainda não foram concluídas. Recentemente a companhia cancelou as licitações referentes às unidades de destilação atmosférica, coqueamento retardado, hidrotratamento e geração de hidrogênio, estação de tratamento de dejetos industriais e o conjunto de encomendas referente a tubovias e as interligações, por considerar excessivos os preços ofertados pelos proponentes. A Petrobras informou que está em negociação com os proponentes que ofertaram os menores preços, com objetivo de reduzir o custo total da refinaria. Nas recentes negociações durante os processos em andamento, ainda que não concluídos, já foi possível verificar redução dos preços ofertados.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG