Petrobras nega responsabilidade em possível irregularidade na distribuição de royalties

RIO DE JANEIRO - A Petrobras informou em nota que a empresa ¿não determina os Estados e municípios beneficiários dos recursos de royalties e participações especiais e não faz pagamentos diretamente a esses beneficiários¿. No comunicado, divulgado na noite desta quarta-feira (8), a estatal se isentou de eventual responsabilidade nas investigações que a Polícia Federal estaria fazendo a respeito de possíveis irregularidades no repasse dos tributos às prefeituras, que estariam em alguns casos recebendo mais do que o devido.

Agência Brasil |

Na nota, a Petrobras afirma que, como todas as demais concessionárias produtoras de petróleo e gás no Brasil, informa à ANP as coordenadas geográficas de suas instalações (poços, plataformas e estações coletoras). A partir destes dados, a ANP consulta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que com base em parâmetros técnicos informa onde estas instalações estão localizadas. Com essa informação, a ANP aplica a legislação e faz a distribuição desses recursos, afirma o texto.

O presidente da estatal, José Sergio Gabrielli, em entrevista após a Assembleia Geral Ordinária de Acionistas, afirmou que a companhia produz petróleo, paga os royalties ao Tesouro Nacional e não tem relação com a distribuição deles, uma vez que quem as define é a ANP.

Na nota, a Petrobras lembra que a legislação brasileira obriga o concessionário produtor de petróleo e gás no Brasil a pagar uma indenização de lavra à União, Estados e Municípios, denominada legalmente de Participações Governamentais (PGs) que envolve o pagamento de royalties, mensais, e Participações Especiais, trimestralmente, que são calculadas em função do volume de petróleo e gás produzidos.

"Os valores das participações governamentais devidas são calculados com base no preço da corrente do petróleo produzido pelo concessionário, estabelecido pela ANP, com referência na cotação internacional do petróleo que possua características mais semelhantes ao que foi produzido pelo concessionário, diz o comunicado.

Leia mais sobre Petrobras

    Leia tudo sobre: petrobras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG