Pesquisadores identificam causa da intolerância ao glúten

Alteração molecular causa problema. Descoberta pode facilitar desenvolvimento de medicação

AE |

Um estudo publicado ontem na revista Science Translation Medicine identificou a causa molecular da doença celíaca, problema digestivo que faz com que as pessoas se tornem intolerantes ao glúten, proteína encontrada em pães, massas, cereais, cerveja e vários outros alimentos.

A descoberta pode ajudar no desenvolvimento de formas mais precisas de diagnóstico, prevenção e tratamento da enfermidade.

Os pesquisadores australianos conseguiram identificar três fragmentos do glúten que aparentemente desencadeiam a reação imunológica nos portadores da doença. Ao todo, o glúten tem 16 mil componentes.

"Para nossa surpresa, a resposta é altamente focada em alguns poucos fragmentos particulares do glúten", afirmou o pesquisador que liderou o estudo, Robert Anderson, do Instituto de Pesquisa Médica Walter e Eliza Hall. "Ao diminuir a toxicidade de um alergênico a poucos componentes, pode-se fazer uma terapia mais precisa", disse.

Para chegar a tais conclusões, os cientistas fizeram um "perfil" das respostas imunes de 244 voluntários portadores da doença. Os voluntários tiveram de comer alimentos com glúten por três dias e depois passaram por exames de sangue, para se analisar a reação das células do sistema imune.

Com os resultados obtidos, Anderson e alguns colegas começaram a trabalhar em uma droga injetável com pequenas doses dos componentes que causam a alergia. A ideia é que a exposição do sistema imune a doses reduzidas, mas regulares, dos alérgenos pode fazer com que o organismo se acostume a eles.

Alcance. Segundo um estudo publicado no ano passado, cerca de 1% da população ocidental tem intolerância ao glúten, mas os números vêm aumentando. Apenas no Brasil, seriam quase 2 milhões de pessoas com a doença celíaca.

A prevalência, porém, é consideravelmente menor entre hispânicos, negros e asiáticos, com uma média de 1 portador da enfermidade a cada 236 pessoas.

No Brasil, as embalagens de alimentos precisam conter avisos sobre a presença de glúten. Em janeiro deste ano, o Superior Tribunal de Justiça determinou que, além dos avisos, as embalagens têm de trazer informações sobre doença celíaca.

    Leia tudo sobre: glútencelíaco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG