A pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), realizada pelo Ministério da Saúde, revelou que quase um quinto da população brasileira bebe em excesso. O consumo abusivo atingiu um porcentual de 19%, maior do que havia sido registrado na primeira versão do estudo, feita em 2006.

Naquele ano, 16,1% da população consumia bebidas alcoólicas de maneira abusiva. A tendência de aumento é constatada principalmente entre mulheres de maior escolaridade.

Segundo a coordenadora da área de Doenças e Agravo Não Transmissíveis do Ministério da Saúde, Deborah Malta, o número é preocupante. A pesquisa, feita ao longo de 2008 com 54,3 mil pessoas, não analisa as causas desse aumento. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, no entanto, arrisca uma interpretação para o fato de o risco aumentar principalmente entre as mulheres: “O fenômeno é resultado de uma série de fatores, como independência e, maior participação do mercado de trabalho.”

Apesar do aumento do abuso de bebida entre mulheres nos últimos anos, o porcentual de homens com mesmo comportamento é ainda três vezes maior. Nesta edição do Vigitel, 29% disseram ter bebido no último mês mais de 5 doses de bebida, em uma única oportunidade. Entre mulheres, esse porcentual foi de 10,5%. Assim como ocorre na associação entre álcool e direção, os jovens são os que têm maior risco de consumir de forma excessiva a bebida. Entre homens com 18 e 24 anos, 29,1% afirmaram ter esse tipo de comportamento. As informações são do Jornal da Tarde .

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.