O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) é pouco conhecido pela população, que ainda confunde a autoria das obras e não sabe se o investimento foi feito pelo governo federal, por Estados ou por municípios. A conclusão consta de uma pesquisa encomendada pela Secretaria de Comunicação Social (Secom), em todo o País, e acendeu o sinal amarelo no Palácio do Planalto.

O levantamento foi realizado há um mês para medir a eficiência dos programas do governo, às vésperas das eleições municipais, e orientar as ações de propaganda. Os problemas de identidade que atingem o PAC, também revelados em sondagens qualitativas para medir a impressão dos eleitores, surpreenderam o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na tentativa de dar visibilidade ao plano e ao conjunto de investimentos no País, Lula promoverá uma megarreunião no Palácio do Planalto, na próxima quinta-feira.

A pajelança reunirá empresários, integrantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, líderes e presidentes de partidos da aliança governista. Ao lado da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff - candidata predileta do Planalto para a disputa presidencial, daqui a dois anos -, Lula dirá que há investimentos garantidos no País até 2012. A "mãe do PAC", como Dilma foi batizada por Lula, ficará novamente sob os holofotes.

O presidente tem reclamado com freqüência da divulgação precária dos programas de seu governo. Fica contrariado também com o fato de prefeitos e governadores não darem crédito para as obras federais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.