Pesquisa mostra que 34% das pessoas expostas a ruídos têm zumbidos

Estudo realizado pelo Grupo de Pesquisa em Zumbido da Faculdade de Medicina (FM) da USP, coordenado pela otorrinolaringologista Tanit Ganz Sanchez, mostra que 34,7% dos pacientes atendidos no grupo têm a exposição a ruídos como uma das causas do zumbido. Segundo a especialista, esta exposição pode ser por trauma acústico (exposição rápida a som forte) ou por exposição prolongada a sons não tão fortes, mas potencialmente lesivos.

Agência Estado |

O levantamento foi realizado em novembro de 2007, com base no banco de dados dos pacientes matriculados no Grupo de Pesquisa em Zumbido. No total, 897 pacientes com zumbido foram incluídos na análise, com idades variando entre 5 e 87 anos. Segundo a pesquisa, a procura por tratamento pelos jovens (menores de 25 anos) aumentou cerca de 20% entre os anos de 2005 e 2007. “A incidência vem aumentando gradativamente em crianças e adolescentes, antecipando a faixa etária acometida por esses problemas”, explica Tanit Sanchez.

Os dados preliminares sugerem que o aumento do problema entre os jovens pode estar vinculado ao uso excessivo de fones de ouvido, além de aparelhos eletrônicos, como ipods, MP3, telefones celulares e brinquedos sonoros, que representam um hábito mais recente entre os brasileiros. “Se a exposição ao som for inadequada e contínua, pode comprometer a saúde auditiva de crianças e adolescentes”, ressalta. Os fones de ouvido são considerados pelos médicos os mais prejudiciais porque carregam sons de até 120 decibéis diretamente para o tímpano, colaborando com o aparecimento de zumbido, antes mesmo de provocar alguma perda auditiva perceptível. As informações são da Agência USP.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG