Pesquisa faz aumentar tensão entre Kassab e Geraldo

A redução da distância entre Geraldo Alckmin (PSDB) e Gilberto Kassab, detectada pela última pesquisa Datafolha, elevou as chances de uma escalada de ataques entre ambos na disputa por uma vaga em um eventual segundo turno - a outra já foi praticamente garantida por Marta Suplicy (PT), que lidera a corrida eleitoral. Os ataques mais fortes têm partido de Kassab, que já qualificou a candidatura de Alckmin de incoerente.

Agência Estado |

Também partiram do candidato do DEM as primeiras citações nominais ao adversário tucano no horário eleitoral. No espaço para sua propaganda no rádio, Kassab disse que acabou com 54 escolas de lata "deixadas por Marta" e colocou em dúvida a sintonia entre Alckmin e o governador José Serra. "O Geraldo também não ajudou a acabar com as escolas de lata. Mas o prefeito e o governador hoje se entendem, antes não se entendiam", disse o locutor do programa. O "antes" inserido na mensagem faz referência ao período em que Serra era prefeito e Alckmin governador (2005-2006).

Na TV, o programa comemorou a queda de Alckmin na última pesquisa: "Kassab sobe três (pontos), Geraldo desce oito. E a diferença entre os dois cai pela metade". No último Datafolha, Marta ficou com 41%, Alckmin com 24% e Kassab com 14%. O candidato tucano não atacou Kassab diretamente, mas dedicou um de seus programas na TV a mostrar as mazelas de moradoras da periferia que sofrem com a falta de atendimento hospitalar. Paradoxalmente, a área de saúde da prefeitura está sob o comando do próprio PSDB - o partido domina ainda outras secretarias e a maioria das subprefeituras. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG