Pesquisa da CNC mostra leve alta na intenção de consumo

RIO DE JANEIRO, 24 de fevereiro (Reuters) - O índice de intenção de consumo da Confederação Nacional do Comércio (CNC) cresceu 0,2 por cento ante janeiro e atingiu 135,8 contra 135,5 em janeiro, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira. A ligeira alta revela que os consumidores se mantêm animados para consumir, porém não há um clima de euforia, avalia Carlos Thadeu de Freitas, economista da CNC. Há perspectiva positiva para o consumo, mas não de aquecimento excessivo da demanda ou de uma farra de consumo.

Reuters |

A perspectiva de consumo de bens duráveis teve crescimento em fevereiro de 7,1 por cento, enquanto a avaliação sobre a renda atual do consumidor encolheu 1,7 por cento.

"Essa deterioração pode refletir o aumento de despesas neste início de ano. Houve aumentos de alimentos, transportes e educação e isso altera o rendimento real das famílias", observou o economista.

A pesquisa da CNC começou a ser divulgada em janeiro deste ano e tem cobertura nacional. Dezoito mil pessoas foram entrevistadas no levantamento de fevereiro.

O levantamento ainda mostrou que total de endividados subiu para 61,8 por cento neste mês, ante 61,2 por cento em janeiro. Já o percentual com dívidas ou contas em atraso diminuiu de 29,1 para 25,6 por cento, sendo que 8,6 por cento disseram não ter condições de honrar seus compromissos.

A CNC aposta numa expansão do comércio de 8,6 por cento em 2010, contra 5,9 por cento em 2009. "O desempenho será bom, mas há dúvidas quanto ao que vai acontecer com as vendas no segundo semestre", afirmou Thadeu de Freitas.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

    Leia tudo sobre: consumo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG