Pescador é esfaqueado em alto mar e sobrevive após resgate de helicóptero

Uma discussão entre dois pescadores em alto mar quase terminou em tragédia na última segunda-feira. Após um bate-boca, um tripulante foi ferido com uma facada, no abdome, em uma embarcação pesqueira que estava a 150 quilômetros da costa catarinense.

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

Os bombeiros voluntários de Piçarras e São Francisco do Sul, em Santa Catarina, foram acionados por volta das 7h por meio do sistema de rádio, o Salva-Mar.

Divulgação
A embarcação onde aconteceu a briga, a 150 quilômetros da costa

Em razão da distância, o resgate só poderia ser feito perto da costa, já que o helicóptero da Polícia Militar disponível para a operação era um monoturbina que, por limites de combustível e potência, não conseguiria chegar até o local.

Por isso, os tripulantes foram orientados a realizar os primeiros socorros ainda em alto mar. A vítima, Oscar Souza Ferreira, de 46 anos, sofria hemorragia por conta do corte. Os bombeiros orientavam os tripulantes a manter o local do ferimento úmido e protegido com bandagem.

Divulgação
O pescador recebe atendimento ainda na embarcação

Informada, a Capitania dos Portos de São Francisco do Sul acionou a Corveta Imperial Marinheiro da Marinha do Brasil, para dar apoio ao resgate.

Por volta das 12h, quando a embarcação estava a 28 quilômetros da costa, o estado de saúde do pescador começou a se agravar.

Os cerca de dez tripulantes dispunham apenas de equipamentos básicos de socorro no barco pesqueiro Porto Régis, de cerca de 30 metros de comprimento, para auxiliar o pescador.

Ele tinha frio, sudorese, tremedeira e entrava no que chamamos de estado de choque. Provavelmente não resistiria muito tempo, disse o major Nelson Coelho, que ajudou no resgate.

Diante da situação, o helicóptero da PM seguiu, então, em direção ao barco. O resgate foi feito após um policial saltar na água e nadar em direção à embarcação, dando início ao atendimento no local. Ferreira foi imobilizado e colocado em uma maca chamada ribanceira; em seguida, foi içado pelo helicóptero por um cabo de resgate.

Divulgação
Ferido, o tripulante é içado em uma maca do helicóptero em direção à costa

Ele e o socorrista seguiram suspensos até descerem na Prainha, local próximo de São Francisco. Duas horas mais tarde, o pescador foi transferido para o hospital São José, de Joinville. Até a noite de segunda-feira, seu estado de saúde era estável.

O nome do agressor, que ficou sob custódia do comandante da embarcação, após receber voz de prisão, não foi divulgado.

Divulgação
Já em terra, pescador é carregado pelos voluntários e, depois, encaminhado ao hospital

Não foi nem briga, foi uma discussão mesmo, por motivo fútil. Se não a lesão teria sido maior. Ele se machucou sem querer. Foi aquela coisa: um grita, o outro empurra. São muitos dias no mar, chega uma hora e todos ficam irritados. Essas embarcações costumam ficar até 20 dias em alto mar, disse o major.

    Leia tudo sobre: resgate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG