Perspectiva de mais chuva preocupa os gaúchos

Os milhares de desabrigados pelas enchentes no Rio Grande do Sul nem voltaram para suas casas e já estão novamente ameaçados pela chuva, granizo e rajadas de vento previstos pelos serviços de meteorologia para amanhã. Um levantamento da Defesa Civil indica que, mesmo depois de três dias de sol e com águas dos rios baixando, o Estado ainda tem cerca de 2,8 mil pessoas desabrigadas e 2,4 mil desalojadas.

Agência Estado |

Por conta dessa situação, o número de prefeituras que decretou situação de emergência subiu para 23 nesta quarta-feira, com a inclusão, na lista, de Aceguá, Candiota, Arroio Grande, Pinheiro Machado, Pedras Altas, Hulha Negra e Eldorado do Sul.

Recursos do governo

O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, sobrevoou as regiões alagadas pelos rios Jacuí, Sinos, Taquari e Caí, acompanhado pela governadora Yeda Crusius (PSDB), hoje. Depois de observar os danos causados pelas enchentes e de receber um relatório da Defesa Civil, anunciou a liberação de R$ 5 milhões, pelo governo federal, para ajudar famílias que tiveram suas casas destruídas.

Entre os principais candidatos aos recursos estão moradores de Herval, no sul do Estado, onde um vendaval destruiu 30 casas e danificou outras 250 no dia 7 de setembro. Uma semana e meia depois, 800 moradores de zonas rurais ainda estão desalojados, vivendo em casas de amigos ou parentes, relata o secretário municipal da Agricultura e coordenador da Defesa Civil Ronaldo Burch Ferreira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG