ímã - Brasil - iG" /

Performance do Grupo Corpo contagia no espetáculo ímã

SÃO PAULO ¿ Difícil escapar do lugar-comum quando o objeto de sua análise é um novo trabalho do Grupo Corpo. Essa companhia mineira, de Belo Horizonte, sempre surpreende. ¿ímã¿, nova coreografia da trupe, traz uma paleta riquíssima de movimentos, em que a leveza e a elasticidade são palavras de ordem, interpretados com contagiante performance dos bailarinos.

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo |

Divulgação

"ímã": sensualidade, movimentos e humor sem confundem com rigor do balé clássico

Coreografada pelo inspiradíssimo Rodrigo Pederneiras e com trilha original do +2 ¿ formado por Domenico, Kassin e Moreno ¿, ímã é autêntica celebração do movimento, da dança, da alegria e prazer em se expressar por meio de nossa ginga, marca determinante da expressividade corporal brasileira.

A idéia de tratar da atração X repulsão e as demais dualidades, complementares e interdependentes por natureza, estão decalcadas na dinâmica coreográfica - cujo ritmo de euforia e entusiasmo proporciona um prazer indescritível ¿ em que a sensualidade, os movimentos de pele e o humor (como se dançar fosse jogo infantil), marcas frequentes do Grupo Corpo, se confundem com o rigor do balé clássico, seus saltos e o necessário domínio corporal.

A performance dos bailarinos não podia ser melhor, além do prazer expresso no ato de dançar, a flexibilidade, a miscigenação do popular e clássico, no que diz respeito aos movimentos, agregados aos figurinos simples e leves de Freusa Zechmeister que cobrem e revelam a pele, proporcionando ainda maior sensualidade nos momentos de contato, o que confirma a genuína brasilidade impressa no Grupo Corpo.

A trilha do +2 mescla do samba ao drum'n'bass, do violoncelo à cítara, a inventividade e a informalidade do erudito junto ao popular, faz de ímã um espetáculo solar, jovial, descompromissado, sem, no entanto, dar lugar pra falha técnica. É o prazer de dançar em sua mais bela figura.

Confesso que ao ver as fotos, pensei que a cenografia e a iluminação de Paulo Pederneiras seriam menos interessantes do que a de trabalhos anteriores como Ongotô, Lecuona e Santagustin, por exemplo, mas Paulo consegue criar ambientações com a luz que enriquecem nosso espírito.

Não podia deixar de mencionar a coreografia que antecede ímã: Bach é uma ótima preparação. Coloca-nos num estado sagrado e reflexivo, mas, ao mesmo tempo, nos embevece com sua coreografia de riqueza barroca de movimentos.

Assista a um trecho da coreografia:

Serviço ¿ Grupo Corpo
Teatro Alfa, São Paulo
De 5 a 16 de agosto, de quarta a domingo
Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722
Quartas, quintas e sábados, 21h; sextas, 21h30; domingo, 18h
Ingressos: R$ 40 (setor IV), R$ 70 (setor III) e R$ 90 (setores I e II)
Informações: (11) 5693-4000
Internet: Ingresso Rápido

Leia mais sobre: Grupo Corpo

    Leia tudo sobre: dançagrupo corpo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG