Pequena miss mundo se inspira em Gisele Bündchen e quer ser modelo quando crescer

SÃO PAULO - Ídolo da maioria das adolescentes que sonham em ser modelo, Gisele Bündchen também é a musa da ¿little miss world¿ Natália Stangherlin, de apenas seis anos. A bicampeã do concurso internacional de beleza mirim começou a carreira cedo, com dois anos de idade. No início, tinha medo da altura da passarela, já hoje desfila com desenvoltura. ¿Gosto de tudo¿, diz.

Lecticia Maggi, repórter do Último Segundo |

Divulgação

Natália diz que adora se maquiar e brincar de Barbie

Vaidosa, Natália vai ao salão de beleza toda semana para fazer as unhas. Ainda não tira as cutículas, mas adora passar esmalte. Gosto de fazer florzinha e francesinha, afirma, sem querer se estender no assunto.

Em entrevista ao Último Segundo por telefone, Natália em nada lembra a modelo que sorri para todos. Ela se mostra apenas como uma criança que, segundo sua mãe, a empresária do ramo de supermercados Daniela do Amaral Stangherlin, de 33 anos, tem vergonha de falar com jornalistas.

Nos cabelos loiros, faz luzes duas vezes por ano para realçar o tom. É só para abrir a cor. No verão, nem precisa, explica Daniela.

Divulgação
Natália no concurso mundial
Natália diz que gosta de desfilar e tirar fotos, mas, de tudo, o mais legal é passar maquiagem, principalmente, batom rosa. Sobre o que quer ser quando crescer, a pequena pensa e logo completa: o que sou hoje, miss.

Além de miss, Daniela faz questão de dizer que a filha é uma ótima aluna. Ela é muito inteligente, a menor nota na escola é nove, afirma a mãe. Com seis anos, Natália já está no 2º ano do ensino fundamental (o normal é cursar com oito) e, além dos compromissos profissionais, faz aulas de balé, italiano e espanhol.

Segundo Daniela, ela também queria fazer natação e aprender a tocar flauta, mas não há mais dias da semana disponíveis. Nem na agenda dela, nem na da empresária, que diz ter alterado sua rotina para acompanhar a carreira da filha. Agora, só faço compras para o supermercado pela internet e delego funções. Minha vida mudou bastante, conta ela, que também é piloto de automóveis, mas diz não conseguir mais participar das competições. Geralmente, são de final de semana, que são os dias que priorizo para viajar com ela a trabalho, diz.

Concursos

Aos dois anos de idade, Natália participou de um concurso estadual de beleza e ficou em 2º lugar. Aos quatro anos, concorreu ao miss Rio Grande do Sul, representando sua cidade natal Santa Maria e, novamente, ficou como vice.

Em 2008, segundo a mãe, nem precisou de concurso e já foi nomeada a miss Rio Grande do Sul, o que lhe deu possibilidade de concorrer ao miss Brasil e, depois, ao miss mundo. Este ano, Daniela diz que foi informada de que a filha poderia concorrer à competição mundial apenas uma semana antes da viagem. Foi tudo na correria, não deu para treinar nada, diz.

O que não impediu que a gaúcha levasse o bicampeonato no Little Miss World, realizado entre 6 e 9 de agosto no Equador. A mãe se derrete em elogios a filha, só diz que ela ainda precisa adquirir segurança em frente às câmeras. Ela não gosta muito de microfone, fica com medo, me perguntando: e se eu errar, mãe? mas eu explico que criança pode errar, conta.

A timidez, porém, deve ser logo corrigida. Quero que ela faça um curso de interpretação para ter mais intimidade. Agora, quero trabalhar a Natália modelo e manequim e desvincular da miss, afirma Daniela.

Divulgação
Natália com os pais e o irmão menor

Leia mais sobre: mini miss mundo

    Leia tudo sobre: mini miss mundomiss

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG