Pensei que disputa por presidências no Congresso estava definida, diz Lula

BRASÍLIA - O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, lamentou na manhã desta sexta-feira que ainda haja indefinição na sucessão da presidência no Senado Federal e na Câmara dos Deputados. ¿Pensei que o jogo estava definido com o companheiro Tião [Viana (PT-AC)] no Senado e o deputado Michel Temer (PMDB) na Câmara¿, disse a jornalistas em encontro no Palácio do Planalto.

Santafé Idéias |

Na última semana, a bancada do PMDB no Senado lançou o nome do atual presidente, senador Garibaldi Alves (RN), à reeleição, a revelia da expectativa de que, tendo lançado Temer na Câmara, o comando do Senado ficaria com o PT. 

Sobre a candidatura de Garibaldi, Lula afirmou ter dúvidas sobre a legalidade do processo. Isso porque a Constituição Federal impediria que o presidente assumisse a presidência em mandatos subseqüentes. Conversei com vários juristas. Isso [a reeleição] não pode acontecer legalmente, avaliou Lula.

Mesmo reconhecendo a indefinição, Lula ressaltou ser necessário que os eleitos tenham a respeitabilidade e a credibilidade de seus liderados e alertou para o cuidado necessário para resolver os impasses entre as maiores bancadas das duas Casas, para que não terminem com a eleição de um novo Severino. Não podemos incorrer no erro do passado quando o resultado da falta de bom senso foi a eleição de Severino, avaliou o presidente, se referindo a eleição do então deputado Severino Cavalcanti, em 2005, que sete meses depois renunciou à presidência e ao mandato. Eleito pelo chamado baixo clero, Severino era acusado de receber dinheiro de um dono de restaurante instalado na Casa para favorecer seus negócios.

PEC dos Vereadores

Sobre a aprovação no Senado da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reabre cerca de sete mil vagas em câmaras legislativas municipais, Lula questionou sua eficácia na solução dos problemas das cidades brasileiras. Não será (sic) mais sete mil vereadores que vai resolver os problemas das cidades, destacou.

A proposta foi barrada pela Câmara dos Deputados que não aceitou o desmembramento da matéria, criando os cargos, mas deixando a discussão sobre os custos da mudança para o ano que vem. O Senado resolveu questionar a decisão da Câmara no Supremo Tribunal Federal (STF). Não tenho direito de intervir nas decisões do Legislativo, ponderou Lula.

Leia mais sobre: presidência da Câmara , presidência do Senado

    Leia tudo sobre: câmara dos deputadoslulasenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG