Pela Amazônia, Sting se reúne com Marina Silva em São Paulo

O cantor britânico e ativista Sting reuniu-se com a senadora Marina Silva (PV), pré-candidata à Presidência da República nas eleições 2010, na última sexta-feira, em um jantar em São Paulo.

Camila Nascimento, iG São Paulo |

Roberto Linsker
Sting e Marina Silva durante jantar em São Paulo

Sting e Marina Silva durante jantar em São Paulo

A senadora e Sting conversaram sobre a Amazônia e as expectativas para a reunião mundial sobre as Mudanças Climáticas que será realizada em dezembro, em Copenhague.

Sting fundou a Rainforest Foundation em 1989 após conhecer um grupo de indígenas brasileiros no Amazonas. Para o cantor, o governo brasileiro deveria ouvir os índios antes de decidir sobre a Hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu.

A hidrelétrica atraiu duras críticas por seu alto custo (R$ 17,3 bilhões) e potencial dano ambiental à bacia amazônica. O governo defende a sua construção para atender a um aumento na demanda de energia nos próximos anos.

"Tenho certeza de que há fatores econômicos sólidos que justificam essa represa, assim como do lado oposto há fatores ecológicos sólidos que não a justificam", disse Sting.

Em entrevista a diversos jornais, Sting destacou que o "povo de Raoni precisa ser parte do processo porque está na linha de frente", em referência ao cacique Raoni, líder dos caiapós. "Sou um estrangeiro, mas o que me importa é que a voz de todos os brasileiros seja ouvida", disse.

Para o cacique, a hidrelétrica pode prejudicar a caça e a pesca, além de inundar parte do Parque Indígena do Xingu. Ambientalistas concordam e dizem que o projeto irá danificar o ecossistema de "forma sensível".

(*com informações da agência Reuters)

Leia também:

    Leia tudo sobre: sting

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG