Pedro Simon e Cristovam Buarque voltam a pedir o afastamento de Sarney

BRASÍLIA ¿ Após sucessivas denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), os senadores Pedro Simon (RS) e Cristovam Buarque (PDT-DF) voltaram a pedir nesta quinta-feira o afastamento do peemedebista. Segundo o senador Simon, Sarney ¿tem que entender que seu afastamento não é um gesto de confissão, mas de isenção para conduzir as investigações.

Carollina Andrade, repórter em Brasília |

Agência Senado
Sarney aparece em novas gravações
Sarney enfrenta mais denúncias

Acho que nós temos que tomar uma providência. Ontem chegou ao limite, alguma coisa deve ser feita. Achamos que o Sarney tem que renunciar. Ele tem que entender que ele não pode se expor, não pode expor a família dele a esta situação ridícula que esta acontecendo. Ele não pode expor o Senado. Ele tem que ter a grandeza de parar para pensar, disse o parlamentar após reunião com o senador Cristovam.

"Vamos fazer um apelo ao Sarney para que ele renuncie por conta própria. Eu rezo todos os dias pra que Deus o ajude, para que os amigos dele conversem com ele e o aconselhem a renunciar. Se ele renunciar começa outro capítulo, se não renunciar vai ser uma guerra. Um derrotado vai ser o Sarney, e outro o Senado"completou.

Agência Senado
Cristovam em entrevista hoje
Para Para o senador, a crise que se abateu sobre a Casa é insustentável. O Senado está em um ponto que eu nunca vi na minha vida. A opinião pública nos olha com deboche. O que fala hoje é em extinguir o Senado. Pra que Senado? O povo ta sentindo que o Sarney só tem uma saída, renunciar. Ele perdeu a credibilidade, acrescentou.

Na opinião de Cristovam, não adianta mais se falar em licença, a renúncia é inevitável. "Vamos enviar um ofício para o presidente do Conselho de Ética (Paulo Duque - PMB-RJ)  pedindo que convoque uma reunião antes do fim do recesso. Esta é uma das coisas imediatas que nós podemos fazer, e se não fizermos não sei quanto tempo vamos aguentar a pressão da opinião pública", ressaltou Critovam. "Hoje, a base mais sólida da continuação do presidente Sarney, além da sua teimosia, é essa blindagem que o presidente Lula e seus aliados estão fazendo", acrescentou.

Nesta manhã, José Sarney foi alvo da quarta denúncia protocolada no Conselho de Ética. O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) pediu ao colegiado que investigue a divulgação das gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal que comprovariam o envolvimento de Sarney com a contratação de Henrique Dias Bernardes, namorado de sua neta, por meio de atos secretos.

O tucano cita no documento a matéria do jornal O Estado de S.Paulo, da última quarta-feira, que traz novos fatos que comprovam a participação direta de Sarney na publicação do ato secreto que nomeou Henrique. Diante da matéria publicada, não restam dúvidas quanto à participação do presidente do senado na publicação intencional de atos secretos, em concluio com o ex-diretor Geral desta Casa, o Sr. Agaciel Maia, diz Virgílio na denúncia.

Sarney é alvo de outras três reclamações do tucano no Conselho de Ética e uma representação do PSOL.

Leia também:



Leia mais sobre: 
Senado  - atos secretos

    Leia tudo sobre: brasiliasarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG