O encarregado do Inquérito Policial Militar (IPM) aberto no Comando Militar do Leste (CML) para apurar a participação de 11 militares na morte dos três jovens do Morro da Providência, identificado apenas como capitão Peçanha, pediu hoje a prisão preventiva por dez dias de quatro militares investigados, informou o Ministério Público Militar. A promotora militar Evelize Jourdan Covas Valle, que acompanha o inquérito, opinou favoravelmente pelo requerimento, que deverá ser apreciado amanhã pela Justiça Militar.

O pedido de prisão preventiva para o 2º tenente Vinícius Ghidetti, o 3º sargento Leandro Maia Bueno e os soldados José Ricardo Rodrigues de Araújo e Fabiano Eloi dos Santos tem por objetivo impedir que a liberdade deles prejudique a investigação. Os quatro, além de outros dois sargentos e cinco soldados, já estão presos desde domingo no 1º Batalhão de Policiamento do Exército, na Tijuca, zona norte da capital fluminense, por determinação do Tribunal de Justiça.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.