Pedágio no Rodoanel pega motoristas de surpresa

Às 8 horas da manhã do primeiro dia de cobrança de pedágio nas saídas do Rodoanel Metropolitano Mário Covas, uma fila de veículos se formou na praça que fica no acesso à Marginal da Castelo Branco, sentido Alphaville-Tamboré. “Muitos motoristas não sabiam do início da cobrança”, disse mais tarde Carlos Costa, gestor de arrecadação da concessionária RodoAnel, que administra o trecho oeste.

Agência Estado |

Para evitar congestionamentos, funcionários trabalharam como papa-filas: com uma caixa amarrada ao corpo, iam de carro em carro para agilizar a cobrança. Quando chegava a vez, o motorista apenas entregava o comprovante ao funcionário da cabine. Cerca de 200 mil veículos pagaram pedágio, que começou a ser cobrado à zero hora de ontem. A tarifa é de R$ 1,20 para carros de passeio. Ônibus e caminhões pagam o mesmo valor, por eixo.

O deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) entregou panfletos contra a cobrança de pedágio em uma das praças do Rodoanel. Ele é o autor do projeto de lei para anular o decreto do governador José Serra (PSDB), que implantou a taxa. “A cobrança de pedágio urbano municipal é inconstitucional. A legislação 2481/53 proíbe a instalação de pedágios num raio de 35 km a partir do marco zero de São Paulo, que é a Praça da Sé”, diz. O consultor de engenharia urbana Luiz Célio Bottura, acredita que filas no Rodoanel como as do início da manhã vão continuar. “As intersecções com as rodovias foram mal projetadas, causando filas muito antes das praças de pedágio.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG