Pedágio na Castelo pode complicar Marginal do Tietê

As mudanças de tarifa e do modelo de cobrança nas praças de pedágio da Rodovia Castelo Branco, nas proximidades de São Paulo - medida em vigor desde domingo -, trouxeram a reboque o fechamento dos acessos ao Rodoanel Mário Covas. Agora, para acessar o Rodoanel, os motoristas têm, obrigatoriamente, de passar pelo pedágio e pagar a tarifa de R$ 2,80.

Agência Estado |

Especialistas dizem que a medida pode complicar ainda mais o trânsito na Marginal do Tietê.

Consultores de tráfego afirmam que a implementação de pedágio leva usuários a buscar caminhos mais baratos - nesse caso, significa atravessar a cidade em vez de optar pelo Rodoanel. "Facilidades estimulam fluxos de tráfego e empecilhos desestimulam", disse Sérgio Ejzenberg. "Pode haver uma migração de veículos." O diretor da Consultoria TTC, Elmir Germani, preferiu tratar do assunto de forma genérica, sem analisar o caso da Castelo Branco. "Mas certamente é possível dizer que pedágio afugenta usuários."

Com a mudança, o valor da tarifa para automóveis na pista marginal da Castelo foi para R$ 2,80. Até a semana passada, era de R$ 6,50. Veículos como caminhões e ônibus pagam R$ 2,80 por eixo. Como muitos motoristas não sabiam das mudanças e eram surpreendidos na hora de passar pelo pedágio, a ViaOeste, que administra a Castelo Branco, teve de montar um esquema de cobrança improvisado: o veículo passava pela cancela, estacionava no acostamento e era abordado por cobradores ambulantes. Quem declarava não ter dinheiro assinava compromisso de quitação do débito em cinco dias úteis, sob pena de multa.

A ViaOeste teve de deixar levantadas as cancelas do sistema automático de cobrança, o Sem Parar, e muitos veículos passaram direto. O diretor de Operações da ViaOeste, Francisco Mendes de Moraes Neto, afirmou que havia a proposta de manter o acesso livre ao Rodoanel, mas se elevaria a tarifa do pedágio. "Se deixasse a alça aberta, o pedágio iria para R$ 5. Há essa possibilidade, mas a opção do governo foi por uma tarifa menor."

Raposo Tavares

Em visita a Taciba, na região oeste do Estado, o governador José Serra (PSDB) deixou claro ontem que é a favor do pedágio como forma de melhorar rodovias e estradas vicinais. Ele rebateu críticas contra o aumento no número de praças na Raposo Tavares. "Prefiro ressaltar os investimentos no programa de concessão da ordem de R$ 1,8 bilhão." Serra lembrou que são mais de 400 quilômetros de vicinais beneficiadas na região de Presidente Prudente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG