Pecuarista é condenado por trabalho escravo em Goiás

Ministério constatou em carvoarias a ocorrência de situações de degradação dos trabalhadores

AE |

selo

O pecuarista Rodrigo Baltazar Pereira, de 34 anos, foi condenado por tratar a condição análoga de escravo onze trabalhadores em uma fazenda no município de Montividiu, em Goiás. Além da multa, o pecuarista foi condenado a seis anos e um mês de reclusão, em regime semiaberto. A informação é do Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO). 

Leia também: Aumentam denúncias de trabalho escravo em 2011

Entre os dias 5 e 20 de dezembro de 2006, um grupo especial de fiscalização móvel do Ministério do Trabalho e Emprego constatou nas carvoarias da fazenda Imburuçu a ocorrência de situações de degradação dos trabalhadores às péssimas condições sanitárias, de higiene, da água, dos alojamentos e da ausência de equipamentos básicos de segurança. 

Segundo a denúncia do MPF, "não havia água potável e os alimentos estavam expostos a insetos, animais domésticos, animais silvestres e insetos vetores de enfermidades. No local em que chamavam de alojamento, não havia sequer camas para os trabalhadores".

    Leia tudo sobre: goiástrabalho escravo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG