Polícia descobre elo entre facção paulista e tráfico no Nordeste

Operação prendeu homem que fornecia cocaína à região. Segundo a investigação, ele pertence à quadrilha que atua em presídios de SP

Renata Baptista, iG Pernambuco |

Doze pessoas foram presas no sertão de Pernambuco suspeitas de tráfico interestadual de drogas, principalmente de cocaína. De acordo com a Polícia Federal (PF), o fornecedor da droga é integrante da facção criminosa que atua nos presídios de São Paulo e que aterrorizou o Estado em 2006.

Este é mais um indício de que a quadrilha está se expandindo para além do Estado de São Paulo. Em fevereiro, um dos seus membros foi preso no Maranhão. Porém, o papel da quadrilha na onda de crimes que está assolando a região Nordeste ainda não está claro. 

A operação foi deflagrada pela PF sob o comando do 8° Batalhão de Polícia Militar do Estado nesta terça-feira, em Salgueiro. Também participaram policiais da Bahia, Ceará e Paraíba. A droga era enviada de São Paulo em caminhões pelo fornecedor, em São Paulo, até a cidade no sertão pernambucano. De lá, ela era distribuída para o Piauí, Ceará e Bahia sob um esquema de fachada de transporte de passageiros em vans. A droga também era repassada para motoqueiros de Salgueiro, que a vendia em um sistema de entregas aos pontos de venda.

As investigações tiveram início em dezembro de 2010, com a prisão de três envolvidos cearenses que estavam transportando as drogas. O receptor da droga em Salgueiro, Claudyvanio Matias de Carvalho, ainda está foragido.

De acordo com a assessoria da PF, os crimes imputados aos integrantes da quadrilha são: tráfico interestadual de drogas, com pena que varia de 5 a 15 anos, financiamento ao tráfico de drogas, com pena de 8 a 20 anos, associação para o tráfico de entorpecentes, com pena de 3 a 10 anos, e lavagem de dinheiro, com pena de 3 a 10 anos.

A estimativa da PF é de que a quadrilha comercializasse de 20 a 30 quilos de crack e cocaína por mês. Nos extratos da conta bancária de Claudyvanio foi possível detectar movimentação bancária mensal de R$ 250 mil a R$ 300 mil.

Crimes no Nordeste

Nos últimos meses, os Estados da região tem vivido uma onda de crimes. A Bahia, por exemplo, tem a média de um banco assaltado a cada 3 dias em 2011. No Maranhão, a criminalidade explodiu com a chegada do crack.

Segundo o Anuário 2010 do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a principal publicação independente do setor no País, a taxa de homicídios dolosos (com intenção de matar) subiu de 2004 a 2009 em oito dos nove Estados do Nordeste - houve queda (12%) somente em Pernambuco. Os aumentos variaram de de 19% (Maranhão e Piauí) a 90% (Alagoas).

    Leia tudo sobre: NordestePernambucotráfico de drogas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG