Em Pernambuco, chuva alaga, destrói casas e corta abastecimento

De acordo com levantamento da Defesa Civil estadual, 943 famílias estão desabrigadas e 2.559 famílias estão desalojadas

Renata Baptista, iG Pernambuco | 03/05/2011 19:06

Compartilhar:

Trinta municípios sofrem prejuízos com as fortes chuvas que têm atingido Pernambuco. De acordo com levantamento feito pela Defesa Civil estadual, 943 famílias estão desabrigadas e 2.559 famílias, desalojadas. Alguns dos municípios atingidos, na Mata Sul do Estado, vivem um pesadelo em dobro. Eles não chegaram a se recuperar completamente das cheias de junho do ano passado, que deixaram 20 pessoas mortas e cerca de 25 mil desabrigadas ou desalojadas.

Foto: AE

Chuvas alagam várias cidades de Pernambuco. Água Preta, na Zona da Mata do Estado, é um deles

 É o caso de Palmares, a 125 km de Recife. Nesta terça-feira, a Defesa Civil começou o trabalho de retirada das famílias de áreas de risco. Segundo o órgão, existem 500 pessoas desabrigadas (que tiveram as suas moradias destruídas) e 6.000 desalojados (que tiveram que deixar suas casas temporariamente).

O rio Una subiu seis metros além de seu normal e transbordou. Além de afetar a população ribeirinha, causou alagamentos nas vias para a cidade. Apenas caminhões estão passando pela BR-101. Em apenas três dias choveu na cidade 206 mm, o que representa 87% do esperado para todo o mês de maio, de acordo com o Laboratório de Meteorologia de Pernambuco (Lamepe).

Camaragibe (região metropolitana do Recife) registrou na madrugada desta segunda-feira a morte de uma mulher. Ela foi atingida, em casa, pela queda de um barraco. Na cidade, a situação é crítica. Várias residências voltaram a ser danificadas ou destruídas por deslizamentos na madrugada desta terça-feira. 

No município de Jaboatão dos Guararapes, também na região metropolitana, cerca de 1.500 famílias receberam alerta da Defesa Civil para que deixassem suas casas, que estão sob risco de alagamento devido ao transbordamento do rio Jaboatão.

Recife

No Recife, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o índice de chuva acumulado em maio, até as 9h desta terça-feira, é de 195mm - quase 61% do esperado para todo o mês.

O órgão afirmou que abril foi o mês mais chuvoso dos últimos 33 anos. A precipitação acumulada chegou a quase 650mm, quase o dobro da média histórica. Segundo o coordenador do instituto, Raimundo dos Anjos, isso foi provocado por uma conjunção de fatores.

O principal deles é um fenômeno chamado "Perturbações do Leste". Ele provoca a formação de nuvens e chuvas que atingem a costa brasileira entre Salvador e Natal. Neste ano, ele foi muito mais intenso, provocando grande volume de precipitações. Além disso, há também a questão do aquecimento do Oceano Atlântico, formando nuvens na faixa oceânica que se encaminham, naturalmente, para o continente, no sentido Leste-Oeste. A tendência é que a região registre um grande volume de chuvas, pelo menos, até junho.

Abastecimento

Foto: AE

Camaragibe (região metropolitana do Recife)tem diversas bairros em situação de risco

As chuvas também afetaram alguns sistemas de abastecimento de água da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

O município de Caruaru (no Agreste do Estado, a 135 km do Recife) está com 40% de seu abastecimento comprometido devido à inundação que provocou danos às bombas em uma estação elevatória do Sistema do Prata, localizada em Bonito. A previsão é que o sistema seja normalizado na quarta-feira.

Em Moreno (na região metropolitana do Recife), não há previsão para retomada do abastecimento, pois as bombas das estações foram retiradas por causa do risco de serem prejudicadas pela inundação. Problema semelhante aconteceu em Jaboatão dos Guararapes, também na região metropolitana. A captação da barragem de Duas Unas Velha está sob ameaça de inundação e as bombas foram retiradas. Com isso, a localidade de Vila Rica está sem abastecimento e sem previsão de retorno.

O abastecimento nas praias do litoral sul - como Porto de Galinhas, Muro Alto e Maracaípe, no município de Ipojuca (52 km do Recife) - também está paralisado devido à alta do nível do rio Arembi, que inundou a estação elevatória, sem condições para operação do sistema.

No município do Paulista, na região metropolitana, uma estação elevatória também deixou de funcionar por causa das chuvas, fazendo com que os bairros de Maranguape I e Maranguape 0 ficassem sem abastecimento. A previsão é de que até a próxima sexta-feira a estação volte a funcionar e o abastecimento seja normalizado nos bairros.

Paraíba

A cidade de Natuba, no Agreste da Paraíba, a 131 km de João Pessoa, foi atingida por fortes chuvas que provocaram o transbordamento do riacho da cidade. Cerca de 50 famílias estão desabrigadas e desde o início da manhã desta terça-feira, o Corpo de Bombeiros está atuando na remoção de pessoas que ficaram ilhadas por causa da água. A Defesa Civil, no entanto, afirmou que não foram registradas ocorrências graves.

    Notícias Relacionadas



    Ver de novo