Corpo de copiloto de bimotor é enterrado nesta sexta no Recife

Velório e enterro foram realizados no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, região metropolitana da capital pernambucana

iG São Paulo |

AE
Familiares se despedem do copiloto Roberto Gonçalves, que morreu na queda do bimotor, no Recife

O corpo do copiloto Roberto Gonçalves, vítima do acidente com o avião da Noar Linhas Aéreas que caiu no Recife , foi velado e enterrado nesta sexta-feira. As cerimônias foram realizadas no Cemitério Morada da Paz, por volta das 11h, em Paulista, na região metropolitana do Recife. Também nesse cemitério, na parte da manhã foi enterrado o corpo do passageiro Marcelo de Albuquerque Carneiro Campelo. No início da tarde, foram sepultados Maria da Conceição de Oliveira e Ivanildo Santos Filho.

A Funerária Morada da Paz também foi responsável pelo traslado dos corpos de André Freitas, que seguiu via aérea para Fortaleza; e Antônia Jalles que foi trasladada via terrestre para Mossoró.

São velados, durante esta noite, os corpos de Bruno Albuquerque e Marcos Ely Soares de Araújo e ambos serão cremados na manhã, de sábado (16), às 9h e 10h, respectivamente, segundo nota do Cemitério Morada da Paz. Na manhã de domingo (17), será realizado o traslado aéreo para Belo Horizonte do corpo de Breno Faria.

Na última quarta-feira (13), Jairo de Souza Gonçalves, irmão do copiloto, afirmou que não acreditava que o acidente havia sido causado por falha humana. "Roberto era um piloto experiente. Só um problema de potência justificaria o acidente, já que ainda daria para voltar ao aeroporto", disse acrescentando que Roberto ainda teria tentado evitar algo pior procurando o terreno descampado, que fica ao lado de dezenas de grandes edifícios.

De acordo ele, o irmão havia comentado que a aeronave, um bimotor LET 410, da companhia da República Tcheca Let Air Craft, já apresentava alguns problemas de decolagem . Segundo ele, uma equipe do país viria ao Brasil nos próximos meses para fazer revisões na aeronave.

Nesta manhã, a companhia aérea decidiu manter a suspensão dos voos e cancelou as decolagens com destino às cidades de Mossoró (RN) e Maceió (AL). A companhia aérea espera retomar as operações no período da tarde. Os voos da empresa estão cancelados desde quarta (13), dia do acidente. Dezesseis pessoas morreram na tragédia - 14 passageiros e 2 tripulantes.

Leia também: Investigador diz que caixas-pretas estão queimadas

Até o início desta tarde, onze corpos das vítimas da queda do avião foram identificados pelo Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife. A perícia preliminar aponta que a causa da maioria das mortes foi politraumatismo, por causa do impacto da queda. A liberação de todos os corpos deve ser feita em, no máximo, dez dias.

(Com informações de Pierre Lucena, especial para o iG no Recife)

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG