Com cidades alagadas, Pernambuco diz que vai prever tragédias

Estado inaugura sistema de monitoramento de tragédia. Chuvas deixam 9 cidades em calamidade pública e 26 em situação de emergência

Renata Baptista, iG Pernambuco |

AE
Eduardo Campos (PSB), governador de Pernambuco, durante inauguração do sistema de prevenção contra tragédias provocadas pelas chuvas
Enquanto ainda contabiliza os prejuízos causados pelas chuvas que atingiram o Estado nos últimos dias, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), afirmou, nesta terça-feira, que o Estado está apto para prever inundações e enchentes com 72 horas de antecedência.

O monitoramento será realizado pelo Sistema de Previsão e Alerta Hidrometeorológico, na Sala de Situação da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), que foi inaugurada nesta terça-feira. Os  equipamentos tiveram custos de R$ 1 milhão.

Os técnicos vão monitorar a quantidade de chuva e os níveis dos rios e, assim, prever situações de risco com até 72 horas de antecedência. Os resultados destas análises serão cruzados com imagens de satélite e plataformas de coleta de dados instaladas em pontos estratégicos das principais bacias hidrográficas que banham Pernambuco.

Além disso, um programa poderá prever os efeitos de uma possível tragédia nas cidades atingidas. Por meio de informações topográficas da região e da previsão de chuva, serão indicadas as áreas mais vulneráveis a inundações. Com isso, o programa mostra, na tela do computador, uma vista área das cidades, com todas as ruas, praças e avenidas, e qual seria o tamanho do estrago causado pelas chuvas.

O governo estadual espera, com isso, antecipar ações para minimizar seus efeitos - como a retirada de moradores em áreas em situação de risco. Os primeiros a serem avisados seriam as prefeituras e órgão de defesa civil.

A população também vai poder acompanhar dados dos níveis das principais barragens e o volume de chuvas no site da Apac . Esta também é uma ferramente contra pânico criado por boatos. Na última quinta-feira, o governo de Pernambuco e a prefeitura do Recife tiveram que divulgar esclarecimentos desmentindo os rumores de que barragens teriam estourado e de que haveria uma grande inundação na cidade.

Balanço

O número de famílias desalojadas (tiveram que deixar suas casas temporariamente) por causa das chuvas que têm atingido o Estado há cerca de duas semanas já chega a 10.671, segundo balanço divulgado na noite desta terça-feira pela Defesa Civil estadual. São 5.137 famílias desabrigadas (que perderam suas casas).

Nove municípios decretaram situação de calamidade pública, e 26 estão em situação de emergência.

AE
Moradores de Barreiros, no interior de Pernambuco, usam barco improvisado para se locomover na cidade alagada
Previsão

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é de tempo nublado no Estado, com previsão de chuvas fracas.

    Leia tudo sobre: chuvaspernambucoeduardo campos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG