Assassino de universitário é condenado a 25 anos de prisão em PE

O assassino procurava dois rapazes na comunidade onde morava a vítima. Como não o encontrou, disparou contra o universitário

AE |

selo

João Guilherme Nunes da Costa, 29 anos, foi condenado nesta terça-feira, por maioria do júri popular, a 25 anos de anos de prisão pela morte do universitário Alcides Ferreira do Nascimento Nunes, 22 anos, em cinco de fevereiro do ano passado. A sentença foi anunciada às 20h40 pelo juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti, depois de sete horas de julgamento, no Fórum Rodolfo Aureliano, em Recife. Do total da pena, 21 anos se referem ao homicídio qualificado e quatro anos por corrupção de menores, já que o condenado induziu um adolescente que o acompanhava a também atirar no estudante.

A morte de Alcides comoveu e indignou Pernambuco. Ele era exemplo de superação. De família muito pobre, filho de catadora de lixo, foi aprovado em primeiro lugar entre os alunos da rede pública para o vestibular de Biomedicina, na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em 2007. Ele foi assassinado com dois tiros na cabeça em frente da sua casa.

João Guilherme e um adolescente de 17 anos que o acompanhava estavam à procura de outros dois rapazes na comunidade onde morava a vítima. Como não os encontraram, dispararam contra o universitário.

Durante o julgamento, a promotora Helena Martins disse estar convicta da culpabilidade de Alcides pelo crime, ocorrido "por motivo fútil". O auxiliar da promotoria, Pedro Eurico, destacou as "provas robustas e inquestionáveis" do inquérito, descartando uma condenação como uma resposta ao "clamor da sociedade". A defensora Fernanda Vieira tentou convencer os jurados da inocência do réu, alegando erros de identificação de João Guilherme no inquérito. O condenado já respondia por um homicídio e assaltos.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG