4 mil funcionários de Suape voltam ao trabalho em Pernambuco

A paralisação durou duas semanas e teve momentos de tensão. Em um dos protestos, um dos operários foi atingido por um tiro

Renata Baptista, iG Pernambuco |

Todos os 4.000 trabalhadores ligados ao Consórcio Rnest-Conest, da Odebrecht, retornaram nesta quinta-feira ao trabalho na construção das unidades UHDT e UDA da Refinaria Abreu e Lima, em Suape, no município de Ipojuca (PE), após duas semanas de paralisação. Em um dos protestos da greve, um dos funcionários chegou a ser atingido com um tiro na boca .

A volta ao trabalho foi acordada após uma audiência promovida pelo Ministério Público do Trabalho em Pernambuco (MPT-PE), que agendou uma nova negociação entre operários e patrões na próxima quarta-feira.

Entre as reivindicações da categoria estão a estabilidade da comissão de trabalhadores por um ano, cartão de alimentação no valor de R$ 300, pagamento de 100% de adicional sobre horas extras nos sábados e ajuda de custo para moradia aos trabalhadores que não quiserem residir nos alojamentos.

    Leia tudo sobre: EconomiaPernambucoSuapegreve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG