1 em cada 10 aviões do modelo que caiu no Recife já sofreu acidente

Aeronave é fabricada por empresa da República Tcheca e segue projeto dos anos 60. Desde 1981, todo ano há um acidente aéreo com um avião fabricado pela empresa

Pierre Lucena, especial para o iG no Recife |

A Noar Linhas Aéreas é uma empresa nova, com um ano de mercado. Ela trabalha com aviões bimotor, o LET-410, fabricados pela Companhia Let Aircraft, da República Tcheca. Esses aviões costumam apresentar uma série de problemas: cerca de um a cada dez aviões fabricados pela empresa já sofreram acidentes. Desde 1981, todo ano há um acidente aéreo com um avião fabricado pela empresa.

É um índice bem semelhante, por exemplo, aos Fokker 100 que traumatizaram uma geração de brasileiros pelos acidentes nos anos 1990 e 2000 - o mais grave deles, em 1996, matou em São Paulo 99 pessoas que voavam pela TAM. Cerca de um a cada 12 Fokker 100 já se acidentaram.

Leia também: Piloto que escapou do acidente diz que avião estava funcionando bem

O projeto do avião é da década de 60, tendo sido encomendado pela antiga União Soviética (que deu lugar à atual Rússia e alguns outros países) à antiga Tchecoslováquia - aquela època, um país comunista formado pelas atuais República Tcheca e Eslováquia sob forte influência dos soviéticos.

A aeronave que caiu no Recife tinha capacidade para 19 passageiros, sendo utilizada principalmente para voos regionais no Leste Europeu.

O avião que caiu hoje no Recife teria pouco mais de um ano de uso, segundo a empresa, apesar do projeto da aeronave ser antigo. Pouco mais de 1.110 aeronaves deste modelo foram produzidas até hoje. Ao todo, 105 delas já sofreram acidentes, sendo 95 de gravidade alta, resultando em completa perda da aeronave, segundo o site da consultoria Aviation Safety Network , uma das principais referências mundiais em estatísticas sobre acidentes aéreos. O site já contabiliza o acidente de hoje.

A Noar Linhas Aéreas faz voos regulares no Nordeste há pouco mais de um ano, cobrindo as cidades de Aracaju, Maceió, Recife, João Pessoa, Natal, Mossoró, Caruaru e Paulo Afonso. A empresa pertence a um grupo de empresários de Caruaru.

    Leia tudo sobre: noarLet Aircraftacidente aéreorecife

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG