PDG da AFP estima necessidades para diversificar agência em 65 milhões de euros

O Presidente da AFP, Pierre Louette, estima em 65 milhões de euros as necessidades da Agence France-Presse para financiar o seu desenvolvimento, construindo um novo portfólio de atividades, em um relatório sobre a mudança de estatuto da Agência apresentado aos funcionários nesta quinta-feira.

AFP |

Um "excedente de receitas da ordem de 90 milhões de euros, obtido pelo crescimento externo, é o objetivo até 2013", o que permitirá passar a fatia de receitas provenientes do Estado da ordem de 40% atualmente para 30% em 2013, indicou o PDG neste relatório enviado ao governo no fim de março.

O montante de investimentos necessários "via aquisições" nos mercados promissores para atingir esse valor de negócios adicional é estimado em 65 milhões de euros, explica.

Esta soma poderá ser financiada em "20 a 25 milhões de euros pela dívida e em "40 a 45 milhões de euros" pelos aportes em recursos próprios.

Estas necessidades serão adicionadas aos investimentos necessários ao desenvolvimento multimídia da AFP (chamado de "projeto 4XML"), para o qual o Estado se comprometeu a conceder 20 milhões de euros como parte do contrato de objetivos e de recursos 2009-2013. Mais dez milhões de euros devem ser concedidos pela AFP para autofinanciamento.

Frente à mudança radical no cenário dos meios de comunicação, Pierre Louette considera que a AFP deve ao mesmo tempo "prosseguir o desenvolvimento de suas atividades essenciais" e "se diversificar por meio das atividades 'satélites'".

"Sem o financiamento da diversificação, todo este esforço financeiro no 'core business' estará na realidade em perigo porque, a longo prazo, as atividades essenciais da AFP se manterão graças as suas atividades periféricas", indica.

Como exemplos desta diversificação, o PDG cita entre outros o fornecimento de "novos produtos +tecno-redacionais+" à imprensa (dossiês multimídia, páginas editadas 'prontas para imprimir' para a imprensa escrita, produções sonoras, sms...) ou serviços para as empresas (pedidos de reportagens com fotos ou vídeos, coleta e difusão de comunicados de imprensa...).

Essas novas atividades serão iniciadas por meio de filiais criadas pela AFP ou através de aquisições.

Em relação aos principais serviços, Pierre Louette quer promover o desenvolvimento de uma agência multimídia, apostando nos mercados e nos conteúdos temáticos atuais (Europa, Oriente Médio, Ásia, América Latina - saúde, meio ambiente, novas tecnologias...).

O relatório detalha a proposta já formulada pelo PDG de transformar a agência em "sociedade de direito comum de capitais públicos", com capital compartilhado entre investidores públicos de longo prazo, funcionários e uma fundação.

Administrada por um conselho que reúne "personalidades qualificadas", esta fundação garantiria ao mesmo tempo o respeito às obrigações fundamentais da AFP, o bom cumprimento de suas missões de interesse geral, a utilização de recursos obtidos do setor privado para o financiamento de suas missões e a manutenção da composição do capital dentro dos limites inicialmente fixados.

ber/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG