A ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, disse hoje, mais de uma vez, que sua decisão de sair do ministério tem como objetivo manter os avanços na agenda ambiental. Segundo ela, essa pauta estava estagnada e poderá ser retomada agora com o novo ministro.

Marina afirmou ainda que alguns governos, principalmente de Rondônia e de Mato Grosso, pressionam para que o governo volte atrás na decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN), no início do ano, de bloquear financiamentos rurais oficiais no municípios campeões de desmatamentos.

"Há questionamentos de alguns governos sobre essas medidas e elas não podem ser flexibilizadas", afirmou Marina, para quem o ato dela ter pedir demissão do Ministério do Meio Ambiente talvez crie um bom fato que dê clareza que o governo não vai mudar a decisão do CMN.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.