Paulo Octávio deve se desfiliar do DEM até segunda

O governador em exercício do Distrito Federal, Paulo Octávio (DEM), informou na tarde de hoje ao senador Agripino Maia (DEM-RN), líder do DEM no Senado Federal, que pedirá a desfiliação da legenda até segunda-feira (22). De acordo com um assessor de Agripino, Octávio telefonou por volta das 15h30 desta quinta-feira para o senador, anunciando que iria renunciar ao cargo.

Agência Estado |

Às 17 horas, Octávio telefonou novamente para Agripino, que visita as suas bases eleitorais no Rio Grande do Norte, e informou que não renunciaria mais. No mesmo telefonema, o governador assegurou ao senador que pedirá a desfiliação do partido até segunda-feira.

A cúpula do DEM havia marcado para terça-feira reunião para discutir o futuro de Paulo Octávio no partido. Na ocasião, o senador Demóstenes Torres (GO) apresentaria o pedido de expulsão do governador em exercício. No documento, o senador pediria a expulsão em razão da suposta participação de Paulo Octávio no esquema de pagamento de propinas que ficou conhecido como mensalão do DEM.

Em nota divulgada à imprensa na tarde de hoje, o DEM defendeu o afastamento de Paulo Octávio do governo do DF e afirmou que a decisão do governador de se manter no cargo, anunciada hoje, dificultará sua situação dentro do partido.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG