Em uma última tentativa de obter sustentação, o governador em exercício do Distrito Federal, Paulo Octávio (DEM), pretende se reunir amanhã com os 24 deputados distritais. Segundo aliados, ele pretende fazer um apelo para que os distritais deem apoio a seu governo.

Se não obtiver apoio para se viabilizar, segundo confidenciou hoje a integrantes do comando do DEM nacional, Paulo Octávio pode renunciar na próxima semana. "O clima da Câmara Legislativa em relação ao Paulo Octávio não é positivo", observou o deputado Chico Leite (PT).

Uma comissão suprapartidária de cinco deputados distritais foi ao Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal, nesta noite, para avisar Paulo Octávio da abertura de processo de impeachment contra ele.

Por meio de nota, as bancadas do PT e do PDT informaram que não compareceriam ao encontro por entender que "o papel mais importante da Câmara Legislativa, neste momento, é concluir os processos de impeachment do governador e vice-governador e de quebra de decoro parlamentar de deputados flagrados na operação Caixa de Pandora". Entre os deputados que confirmaram presença está o presidente da Câmara Legislativa, Wilson Lima (PR).

Hoje, um dia após anunciar que não renunciaria, o governador em exercício manteve uma agenda cheia de encontros - reuniu-se por uma hora com 20 secretários de governo no Palácio do Buriti. A assessoria do governo do Distrito Federal informou que a previsão, agora, é que a rotina de inauguração de obras seja retomada - e descartou, mais uma vez, a hipótese de renúncia de Paulo Octávio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.